Slide toggle

Tag: Condomínio

COMO EVITAR CONFLITOS ENTRE MORADORES E FUNCIONÁRIOS DO CONDOMÍNIO

 

Sabemos que a convivência pacifica em condomínios nem sempre é a tarefa mais fácil de ser comprida, mas e quando não tem uma convivência pacifica entre os condôminos e moradores? O que deve ser feito tanto pelos moradores quanto pelos funcionários para que ambos fiquem em paz um com os outros? Alguns requisitos como saber administrar a convivência entre grupos diferentes de pessoas, respeitar o próximo e o seu espaço são muito importantes para que se possa ter harmonia no condomínio.

Assim todos sabemos que existem momentos em que não dá para evitar de pedir aquele favorzinho que sabemos que não pode ser feito, mas que mesmo assim pedimos para o porteiro ou o zelador fazer. Sendo assim tem aqueles funcionários que mesmo sabendo que determinado favor não pode ser feito o fazem, mas por outro lado tem também aqueles que não fazem esses tipos de favores e por isso alguns moradores podem as vezes ficar com raiva do mesmo e assim iniciar uma discussão entre ambos. Para que se possa evitar conflitos entre funcionários e condôminos é importante que os próprios moradores tenham consciência de que o condomínio é um local de moradia, mas que também para os funcionários é um lugar de trabalho no qual eles tem regras a seguir e não podem ficar fazendo coisas que não estão autorizados a fazer.

Por outro lado, o profissional que trabalha no condomínio deve sempre buscar uma solução para que se possa resolver os problemas de uma maneira pacifica e ordeira e cabe aos síndicos e administradoras estimular os trabalhadores a participarem de programas de treinamentos, assim como incentivar a leitura de manuais de informações de suas atribuições e obrigações, fornecidos logo que contratados. Assim um software de gestão de condomínios no qual os moradores ou funcionários possam registrar ocorrências de brigas ou qualquer outro tipo de ocorrência por meio da internet pode ajudar a resolver esses tipos de conflitos.

COMO EVITAR CONFLITOS ENTRE MORADORES E FUNCIONÁRIOS DO CONDOMÍNIO

Sindico é indenizado após ser difamado por moradores de condomínio

 

Um síndico de um condomínio em Guarapari será indenizado em R$ 2 mil por ter processado dois vizinhos por difamações, que segundo ele eram repassadas por meio de e-mails que eram enviados aos demais moradores do prédio. O delito tinha acontecido em janeiro de 2013 e o sindico disse que a situação ficou tão grave que ele tinha até pensado em se mudar do prédio e vender seu apartamento.

As acusações que os outros moradores faziam contra o sindico era de que ele tinha superfaturado os preços na compra de móveis para a portaria do condomínio e tinha feito uma obra de reparos no edifício sem a autorização dos outros condôminos. Segundo o processo, até mesmo a proprietária do estabelecimento no qual o síndico teria comprado a mobília foi acusada de se beneficiar com o suposto superfaturamento dos produtos que o sindico tinha comprado.

Os ofensores afirmaram que os ataques foram feitos por causa da insatisfação deles com o trabalho prestado pelo sindico. O processo diz que os ataques eram estendidos via e-mails e eram passados para todos os moradores do condomínio. De acordo com pessoas que viram as ofensas, os dois moradores chegaram a chamar o sindico de ladrão.

Sindico é indenizado após ser difamado por moradores de condomínio

Funcionários e moradores do condomínio

 

Se tem um assunto que faz surgir duvidas na vida de quem vive em condomínios, sejam eles horizontais e verticais, é a relação entre moradores e funcionários do prédio. Estes funcionários podem ser porteiros, zeladores ou seguranças do condomínio e que estão presentes na vida de quem mora no condomínio e são grande importância para o bom funcionamento da estrutura.

Sendo assim a relação do condômino com o empregado do condomínio é diferenciada. O colaborador tem o sindico como o seu patrão, mas acaba tendo que responder aos outros moradores. Assim todos são donos do edifício. Portanto por ser uma relação bem próxima, na qual há casos em que os funcionários dormem no condomínio, essa situação acaba por si ultrapassando o local de trabalho. Dessa forma, como representante do condomínio, o síndico é quem tem a maior autoridade sobre os funcionários. É ele quem vasculha a prestação de serviços dentro do edifício. Portanto é de responsabilidade do sindico fiscalizar, gerir e direcionar a apresentação do trabalho.

Um outro assunto que produz muita discussão e polêmica é a realização de serviços particulares ou pessoais dos moradores. Na opinião de uma advogada da Secovi, não tem nenhum problema nesse tipo de serviço, desde que este seja realizado durante seu horário regular de trabalho. Ela ainda dá a orientação que o empregado do condomínio foi contratado para atuar pelo condomínio e não para atender necessidades pessoais. Portanto se ele cumpriu sua carga horária de trabalho, a Justiça entende que não tem problema algum em realizar outros serviços.

Funcionários e moradores do condomínio

Limpeza em condomínio

Para quem mora em condomínios sempre se é avisado sobre um assunto muito importante no dia a dia: limpeza no condomínio. Se antigamente esse assunto era pouco falado, agora ele está recebendo destaque em condomínios.  Manter um condomínio limpo resulta em bem-estar, saúde, sensação de dever cumprido e de organização, e um ambiente mais limpo traz diversos benefícios. Além disso ter um condomínio limpo ajuda na conservação das estruturas do mesmo.

Assim é de grande importância que se contrate uma empresa que seja especializada neste assunto. A limpeza correta do condomínio, deve ser feita com produtos que sejam específicos para esse tipo de serviço, pois utilizando estes produtos específicos para a limpeza, pode se evitar o desperdício. Ser organizado com respeito a este assunto também é importante. Ter um calendário e uma lista de tarefas é de grande importância para a otimização do tempo e para garantir a eficácia do trabalho realizado. Para melhor manter esse hábito, a sugestão é acrescentar isso no contrato na hora de contratar uma empresa ou equipe de funcionários para realizar a limpeza do condomínio.

A limpeza do condomínio também é dever dos condôminos. Com a falta de saquinhos de coleta de fezes de cachorros e a falta de consciência de alguns donos é comum reclamações e até brigas por causa de sujeira no espaço de vivência entre moradores. Uma solução prática é instalar um dispenser que possibilita a retirada de saquinhos um a um. Ele pode ficar fixado nos locais por onde as pessoas circulam ao passear com seus cães acabando assim com todos os transtornos existentes.

Limpeza em condomínio

ALUGUEL DE VAGAS DE GARAGEM EM CONDOMÍNIOS – O QUE DIZ A LEI?

Sobre aluguel de vagas na garagem do condomínio o novo Código Civil estabelece que vagas na garagem que serão alugadas devem ser concedidas a inquilinos e proprietários. E ainda caso se queira alugar uma vaga de garagem para quem mora no local, esse tipo de acordo deve estar explicitamente autorizado na convenção. Dessa forma para alugar a garagem para não-moradores do condomínio essa possibilidade deve estar discriminada na convenção.

A lei diz o seguinte sobre este assunto: as partes suscetíveis de utilização independente, tais como apartamentos, escritórios, salas, lojas e sobrelojas, com as respectivas frações ideais no solo e nas outras partes comuns, sujeitam-se a propriedade exclusiva, podendo ser alienadas e gravadas livremente por seus proprietários, exceto os abrigos para veículos, que não poderão ser alienados ou alugados a pessoas estranhas ao condomínio, salvo autorização expressa na convenção de condomínio. (Nova redação dada pela lei nº 12.607, de 4 de abril de 2012.)

Os novos condomínios possuem vagas relevantes que são vendidas separadas para aqueles condôminos que necessitam de um número maior de abrigos de veículos do que aqueles relacionados ao seu apartamento. Nestes casos, é possível escolher o registro autônomo da vaga em face da unidade privada. Essa distinção concede ao proprietário a possibilidade de dispor da sua vaga de garagem de forma muito mais acessível do que se o seu registro estivesse vinculado à escrita do apartamento.

ALUGUEL DE VAGAS DE GARAGEM EM CONDOMÍNIOS – O QUE DIZ A LEI?

DROGAS EM CONDOMÍNIOS: O QUE FAZER?

Esta é sem dúvida uma pergunta que muitos síndicos e moradores de condomínios se fazem a todo momento. Com o alto índice de consumo de drogas graças à imputabilidade do usuário, conveniente a novas leis, este fato vem causando muita dor de cabeça aos moradores e síndicos de condomínios. Como todos sabem, usar, manter guardados, trazer consigo produtos entorpecentes é crime, devendo tal ato ser de qualquer maneira denunciado pelos moradores do condomínio, sendo este ocorrido fora ou dentro do condomínio.

Dessa forma não há a necessidade de inserir na convenção, por exemplo, a questão do consumo de drogas especificamente, já que qualquer outra atividade ilegal não pode ser feita no condomínio. É importante, no entanto, que ela defina regras para o descumprimento de leis federais, estaduais ou municipais – como a aplicação de multas em caso de descumprimento. Mas é importante ressaltar que se o usuário se tornar violento, começar a roubar moradores ou o condomínio ou se o comércio de drogas levar a uma movimentação grande de pessoas a segurança dos moradores pode estar em risco, o que faz disso um problema grande e que deve ser resolvido o quanto antes.

O uso de drogas nas unidades gera muita polêmica. Por se tratar de uma área privativa, não tem como fazer a fiscalização, mas se houver alguma denúncia fundamentada de vizinhos, por conta de cheiro excessivo, por exemplo, o caso passa a ser uma questão da administração do condomínio. Assim como em qualquer caso mais delicado, a primeira iniciativa deve ser sempre de negociação e conversa para que se possa resolver o problema. O síndico deve procurar o morador em um momento propício e alertá-lo sobre as regras do local – lembrando-o sempre de que está sujeito a multa.

DROGAS EM CONDOMÍNIOS: O QUE FAZER?

ACIDENTES EM CONDOMÍNIOS: QUEM DEVE SER RESPONSABILIZADO?

Da portaria até a última laje do condomínio, tudo pode acontecer. Para muitos problemas listados, a solução mais fácil é acionar o seguro de responsabilidade civil do síndico, que dependendo da cobertura, pode arcar com custos de portões, consertos de carros, e até indenizações por acidentes no condomínio. Para que isso ocorra, porém, é fundamental que se espere um ok da companhia de seguros antes de efetuar qualquer tipo de reparo.

São muitas ocorrências dentro de condomínios. As mais comuns são: queda de arvore, carro que foi danificado em garagem, furto na garagem, funcionário que se acidenta, condomínio é assaltado, alguém se afoga na piscina, cachorro morde vizinho, acidente no elevador, acidente com gás no condomínio, etc. Num condomínio, via de regra e por força legal, o responsável por quase “tudo” é o síndico, estando sua responsabilidade civil, a título de exemplo, prevista nos artigos 1.347 e seguintes do Código Civil Brasileiro.

Dessa forma, o tema das responsabilidades permeia a preocupação dos síndicos, termo que vem de “responsável” ou de “responder” e significa garantir, assegurar, assumir o pagamento do que se obrigou ou do ato que se praticou. Contudo as obrigações em condomínio são inúmeras, e em regra são permeadas do dever de cuidado inerente a tantas atividades relacionadas à administração condominial. Portanto quando se fala em acidentes então, mais ainda a responsabilidade deve preocupar a pessoa que ocupa o cargo de sindico.

ACIDENTES EM CONDOMÍNIOS

O QUE FAZER COM MORADORES QUE JOGAM LIXO PELA JANELA DO CONDOMÍNIO

Jogar lixo pela janela do apartamento é comum em muitos condomínios e geralmente não se acha o culpado pelo ato. Para conter a ação de quem não tem responsabilidade ambiental é preciso deixar comunicados nos elevadores e comentar o incidente nas reuniões de moradores. Quando não se sabe quem é o responsável pelo lixo, funcionários do condomínio ou sindico devem ficar atentos ao problema para tentar testemunhar a infração. Uma outra solução pode ser redirecionar a câmera de segurança para a janela do apartamento suspeito, na tentativa de filmar outro objeto sendo descartado.

Dessa forma, se o alerta dado pelo sindico não der resultados, o condômino estará sujeito a multa na qual o valor cobrado será definido na convenção de cada imóvel e pode ser medida de acordo com a infração cometida. Não jogue papéis, bitucas de cigarro ou quaisquer outros tipos de lixo pela janela do apartamento. Lembre-se que a área comum do condomínio é mais agradável quando limpa. Valorize o bem comum e seu patrimônio.

Os condomínios muitas vezes precisam fazer um trabalho de conscientização, mas se a ocorrência continuar acontecendo a melhor opção é a multa. Os empreendimentos podem, hoje, multar os moradores que causam esse tipo de problema ao condomínio, mas é preciso ter certeza de quem seja o infrator. Por fim, para que o condomínio seja um local cada vez mais agradável, deve-se demonstrar por palavras e atitudes que as regras da boa convivência são valorizadas por todos.

× Como podemos te ajudar?