Slide toggle

Blog

A importância de ter o Registro Profissional do Educador Físico

Atualmente para ter um diferencial no mercado de trabalho, não basta um educador físico ter a formação técnica ou acadêmica. Ou um bom domínio do que esta produzindo. É preciso ter algo a mais, além do olho atento, da percepção corporal, controle e domino da atividade desenvolvida para fazer a diferença e ser contratado cada vez mais por novos clientes.

Assim como o nutricionista precisa ter registro profissional para exercer sua profissão na nutrição, o médico, o registro no Conselho Regional de Medicina, o profissional de Educação Física também deve ter um número de registro, emitido pelo Conselho Regional de Educação Física.

A inscrição é a prova que o educador físico está apto e legalmente habilitado a exercer plenamente a profissão! Quando uma pessoa tem um registro profissional, subentende-se que ele adquiriu sua experiência por meio da sua bagagem cultural, acadêmica, filosófica, artística, experiência de vida e aprendeu conceitos em escolas e cursos renomados, de mestres e docentes de sua área, por tanto está capacitado a exercer sua profissão.

E qual é a grande vantagem em ter o registro do profissional de educação física?

Infelizmente o mercado está cheio de pessoas dizendo serem educadores físicos, mas na verdade, não conseguem cumprir o que foi combinado, seja em prazo e/ou qualidade. Ou pior, pegam o dinheiro e desaparecem, deixando a imagem do profissional regulamentado e legalmente habilitado para exercer seu ofício com distinção e seriedade, totalmente manchada.

Pense nisso: da mesma forma que um paciente procura um médico portador do CRM, o profissional de educação física com registro no CREF é contratado para fazer um trabalho na área da saúde, lazer ou no esporte, deixando os clientes mais seguros e satisfeitos.

Talvez você ache que ter o CREF não serve para muita coisa e é só um número. No entanto, em algum momento da profissão, é possível que você precise do registro profissional. O Código de Proteção e Defesa do Consumidor faculta ao cliente a se recusar a pagar os serviços aos profissionais que não sejam legalmente qualificados. Em outras palavras, trata-se de “profissão ilícita” e deve ser denunciado as autoridades policiais, pois caracteriza vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento.

Os 10 mandamentos da segurança em condomínios

Conheça algumas dicas para promover a cultura de segurança em seu condomínio. Todos têm um papel importante para tornar o condomínio um lugar mais seguro para viver. Confira:

Para síndicos

  1. Checar antecedentes e referências de funcionários antes de contratá-los e manter uma listagem com todas as informações sobre atuais e ex-empregados do condomínio;
  2. Comunique com clareza aos funcionários todas as normas e procedimentos de segurança e verifique se as normas estão sendo cumpridas no dia-a-dia;
  3. Promova periodicamente a reciclagem e treinamento dos funcionários, visando à segurança do condomínio;
  4. Faça um planejamento para que haja cobertura de outros funcionários durante períodos de recesso (horários de almoço, por exemplo);
  5. Cadastre todos os condôminos com dados pessoais, dos veículos e até de parentes próximos, para facilitar e otimizar o processo de identificação e controle de acessos;
  6. Procure conscientizar os demais condôminos quanto à importância de se adotar condutas de segurança. Uma boa dica é abordar o assunto nas assembléias gerais e nos quadros de avisos do condomínio;
  7. Estabeleça um sistema padronizado de identificação para todos os visitantes do prédio.
  8. Crie um cadastro das empresas que fornecem produtos e serviços ao condomínio e aos moradores;
  9. Mantenha bem iluminadas as entradas do condomínio e realize periodicamente uma avaliação das áreas comuns, procurando identificar falhas como portões danificados, luzes queimadas, áreas isoladas e facilidades de acesso;
  10. Teste periodicamente alarmes sonoros e luminoso, e verifique o bom funcionamento e velocidade dos portões automáticos.

Para funcionários

  1. Sempre peça autorização ao morador, pelo interfone, para a entrada de qualquer visitante. Na dúvida, não permita a entrada e peça apoio a outro funcionário;
  2. Nunca forneça informações sobre hábitos de condôminos ou sistemas de funcionamento do condomínio a ninguém;
  3. Esteja sempre atento ao que acontece nas imediações do condomínio. Carros parados por um longo período, pessoas estranhas observando o movimento ou qualquer outro fato estranho deve ser comunicado imediatamente ao seu superior;
  4. Seja cordial com moradores e visitantes, porém, e em primeiro lugar, cumpra as regras de segurança implementadas no condomínio, mesmo que isso desagrade alguém;
  5. Não permita que pessoas estranhas adentrem o portão para conversar com o porteiro ou outro funcionário, pela janela da guarita;
  6. Não  permitir  aglomeração  de pessoas em local próximo ao portão de entrada / saída do condomínio;
  7. Antes de abrir o portão da garagem, procure identificar quem está dentro do veículo;
  8. Inteirar-se das diferentes artimanhas utilizadas pelos assaltantes para entrar no prédio;
  9. No caso de entregas em domicílio, como pizza, flores e farmácia, dentre outras, solicitar ao condômino para receber o solicitado na portaria;
  10. Não forneça informações sobre hábitos de condôminos ou sistema de funcionamento do condomínio a ninguém.

Para condôminos

  1. Sempre participe das assembleias e reuniões, especialmente se um dos temas abordados for a segurança;
  2. Elogie e respeite as ações que visem garantir a sua segurança, mesmo quando essas medidas possam representar certo incômodo para você ou aos visitantes;
  3. Antes de sair do apartamento, procure observar o movimento na área interna do condomínio, por meio do circuito interno de TV. Havendo qualquer dúvida, comunique-se com a portaria e, caso necessário, chame a polícia;
  4. Ao entrar ou sair do condomínio, fique atento para a presença de estranhos nas imediações do edifício, posição de funcionários ou veículos desconhecidos próximos à garagem;
  5. Evite acionar portões automáticos a uma longa distância, especialmente se observar a presença de “oportunistas” nas proximidades do prédio;
  6. Entre no prédio sempre desacompanhado de visitantes, que devem, obrigatoriamente, passar por um sistema de identificação, impedindo, assim, que moradores possam ser utilizados como reféns para facilitar a entrada de criminosos;
  7. Evite deixar cópias de chaves em portarias, guaritas e recepções, assim como em locais “secretos” como batente de portas, embaixo de tapetes ou dentro de vasos;
  8. Em hipótese alguma fique conversando com parentes ou amigos em frente ao prédio, especialmente à noite e em locais isolados ou mal iluminados;
  9. Sempre tranque todas as portas do apartamento, mesmo durante rápidas saídas, e, principalmente., antes de dormir;
  10. Procure conhecer seus vizinhos e combinar medidas de auxílio mútuo, como sinais luminosos, telefonemas e outros códigos de emergência.

Roubos em condomínios crescem 172% em SP

Roubos e furtos a condomínios crescem 172% em São Paulo, aponta levantamento

Dados levantados pela GloboNews junto à Secretaria de Segurança Pública mostram que foram 25 ocorrências na capital paulista em 2015 e 68 em 2016.

Levantamento feito pela GloboNews com base em dados da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo aponta aumento de 172% nos roubos e furtos a condomínios na capital paulista entre 2015 e 2016. De acordo com o levantamento, foram 25 ocorrências em 2015 e 68 no ano passado.

Imagens às quais a GloboNews teve acesso mostram a ousadia de uma dupla de assaltantes que invadiu dois imóveis na mesma rua, no mesmo dia. O crime foi na Zona Sul de São Saulo.

No primeiro caso, os homens param na frente do portão. Um deles entra na casa, e o outro espera do lado de fora. O suspeito observa o movimento do prédio e, em seguida, decide subir. Já no andar escolhido, ele tenta escutar o movimento dentro dos dois apartamentos. Ele desiste e sobe para outro andar. O ladrão tenta abrir a porta de um dos apartamentos, mas desiste.

Em outra imagem, a dupla já está em outro imóvel, e o alvo foi o apartamento do último andar. Na fuga, eles deixaram cair duas chaves que usaram para abrir a residência. Os bandidos entraram no apartamento usando uma chave-micha, um tipo de chave universal capaz de abrir qualquer porta.

Durante cerca de 20 minutos, os assaltantes reviraram os cômodos, gavetas, a escrivaninha, armários e baús. Eles recolheram dinheiro, celular, computadores e documentos, e fugiram antes da chegada da polícia.

Os alvos foram uma mãe e duas filhas, que não estavam em casa.

“Da parte da polícia, não recebi nenhuma ligação. Meu pai levou as imagens da câmera. Eu tinha só imagem no celular, mas eles não aceitam e eu não tive nenhum retorno”, disse moradora Amanda Marques.

Mesmo com o alto investimento em segurança, nem sempre as medidas são suficientes. Os R$ 40 mil gastos por um condomínio de luxo na Zona Leste da capital paulista, por exemplo, não evitaram a invasão de bandidos no ano passado. Assustados, os moradores estão ampliando a vigilância. São mais R$ 44 mil investidos no sistema que protege o prédio.

“Primeiro, nós aumentamos um homem a mais que colabora no controle de acesso das pessoas e também rondas durante o dia e a noite. Outra questão importante: o controle biométrico que fica na entrada com catracas e um sistema bastante moderno que a pessoa insere documento”, contou o administrador de empresas Renato Chiantelli, presidente do Conselho de Segurança do Bairro.

Moradores com condutas anti-sociais

Objetos atirados para fora da janelas dos apartamentos, lixo disposto de qualquer maneira nas vias comuns, gritos, palavrões, discussões, danos causados ao bem privado, agressões verbais/físicas a moradores e funcionários, entre outros, são algumas das ações praticadas por moradores que apresentam conduta anti-social. A grande maioria dessas condutas são punidas em qualquer sociedade mundo a fora. Porém, e dentro dos condomínios? Como os síndicos, moradores e funcionários podem agir diante de indivíduos que praticam tais ações?
Cada condomínio possui seu RI (Regimento Interno), então as punições podem variar bastante de condomínio a condomínio e até mesmo de Estado a Estado, pois alguns possuem leis únicas de nível Estadual. As punições variam desde multas à, em casos extremos, expulsão do morador que não age de acordo com as normas de boa convivência. Sanções que proíbam o agendamento de áreas comuns também são previstas, além das multas que podem passar de 100% do salário mínimo federal.discussão nos condomínios

Caso você seja vítima de uma agressão no condomínio, seja ela física ou verbal, independentemente de sua posição ou função no condomínio, não revide! O melhor a se fazer é realizar um TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência), que é basicamente um registro de um fato/infração de menor potencial, que pode ocasionar em cerceamento de liberdade por dois anos ou multa. Não importa se um síndico, conselheiro, porteiro o insultou; nem mesmo se um morador, síndico, visitante tenha te insultado. O importante é não revidar e registrar a ocorrência para que o acusado sofra as consequências legais previstas tanto no RI quanto na Legislação brasileira.

O que fazer quando o elevador quebra?

É possível dizer que, praticamente todos os que vivem ou que circulam dentro do condomínio, já vivenciaram a triste situação de se estar dentro de um elevador, e o mesmo parar por alguma falha técnica ou por falta de energia. Se você ainda não vivenciou uma situação como esta, leia com atenção as dicas dessa notícia para saber o quer fazer caso o elevador pare com você lá dentro.

Caso aconteça essa situação, esteja preparado e tentar manter a calma nessa hora é o melhor a se fazer.
Caso esteja acompanhado, tente acalmar as pessoas que estão com você, dizendo que é normal acontecer isso, e que o elevador não tem o risco de cair ou coisas do tipo.
Segundo os fabricantes, os elevadores têm ventilação necessária para respiração.
Não tente sair do elevador em nenhuma hipótese, principalmente se o mesmo estiver entre dois andares, pois o elevador pode voltar a funcionar a qualquer momento.
Acione o alarme do elevador, ligue para o porteiro através do interfone, ou ligue para o corpo de bombeiros. Caso isso não seja possível no momento, tente pedir ajuda de alguém que esteja de fora do elevador.
Não force ou danifique a porta! Tal ação pode dificultar o resgate quando a equipe de resgate chegar.

Caso você seja um morador, ou até o mesmo o síndico do condomínio, fique atento para saber o quer fazer nessa situação.

Não tente resgatar a pessoa presa por conta própria, muito menos permita que pessoas não capacitadas para aquele tipo de serviço tente tirar alguém do elevador.
O resgate por pessoas despreparadas, pode trazer riscos de vida, tanto para o passageiro que esta em apuros, quanto para a pessoa que esta fazendo o resgate.
Tente chamar a empresa responsável pelos elevadores ou o corpo de bombeiros, que são os únicos capazes de realizar o resgate, caso for necessário.
Em casos de que a pessoa que está presa, comece a passar mal, tente conversar com ela, e explique que todos os procedimentos estão sendo realizados e que logo ela sera resgatada.
Faça o possível para distrai-la. Converse sobre qualquer assunto com a mesma (perguntar sobre a vida é um bom início), sempre olhando-a no olho.
Independentemente da situação, o melhor a ser feito é manter a calma e esperar o resgate chegar! Não tome atitudes precipitadas e não entre em pânico.

Parceria com a Microcamp dá descontos em cursos para  novas e promissoras profissões  

Diretor o Sr. Thiago Nazar representante da empresa MICROCAMP-ES

Condôminos cujos imóveis são administrados pelo Grupo ATTA já podem fazer cursos de informática e inglês com até 70% de descontos. O benefício é resultado da parceria firmada entre o Grupo Atta e a principal rede de escolas de informática do Brasil, a Microcamp que está completando 40 anos de atividade no mercado e possui mais de 70  unidades instaladas no país, duas delas no Espírito Santo: uma em Vitória e outra em Vila Velha.O benefício é válido para qualquer um dos cursos oferecidos pela Microcamp como Informática Moderna, Design de Games, Hardware e Inglês I Do.

No curso de Informática Moderna, um dos principais diferenciais é o módulo que ensina o aluno a desenvolver aplicativos.  “É a primeira escola no Brasil onde o aluno entra para o curso sem conhecimentos em informática e após dois anos sairá apto a criar aplicativos para celulares Apple e Android”, assegura o diretor da Microcamp no Espírito Santo, Thiago Nazar.

É um grande diferencial, segundo o diretor, uma vez que o setor de aplicativos é um dos mais atraentes para empreendedores iniciantes pois oferece oportunidades interessantes em várias áreas.

O curso de Informática Moderna ainda traz outros quatro módulos complementares que preparam o aluno para as novas profissões do mercado: Gestão Administrativa, como ser um Youtuber, Internet das Coisas e Aplicativos de Realidade Virtual.

No curso de Hardware o aluno aprende a montar e fazer manutenção não só em computadores, mas também em celulares Apple e Android e robôs. E ainda vai trabalhar com o Arduino, que são placas  que tornam mais fácil e econômica a criação de dispositivos inteligentes capazes de interagir com o ambiente, como robôs, por exemplo.

Este curso também oferece módulos complementares atualizados com o mercado como Manutenção de Drones, Case Mod (que é arte de customizar o gabinete do computador baseado em algum tema de interesse), Dispositivos Vestíveis (aparelhos que permitem uma maior interação do usuário com seu smartphone, como os óculos de realidade virtual, os relógios e as pulseiras inteligentes.) e Robótica social (robôs com função social, que interagem com seres humanos).

 

Já no curso de inglês I Do as atualizações ficaram por conta da inclusão de quatro módulos complementares: Inglês para Viagens, Inglês Profissional, Inglês para Youtube e Inglês para Culinária.

 

Os interessados devem entrar em contato com a Microcamp – 3024-9900 e Microcamp Vila Velha – 3061-0900. Para saber mais informações sobre o desconto, basta apresentar seu boleto de condominio em qualquer escola Microcamp do Espirito Santo e receber seu desconto.

DOMANI – Interiores

“Quem nunca ouviu a expressão: ” A primeira impressão é a que fica!”. Assim, diante dessa afirmativa e reconhecendo que os halls de entrada dos edifícios são verdadeiros cartões de visita, nós da Domani Interiores, oferecemos um trabalho diferenciado para ambientação de halls de condomínios.

Com profissionais qualificados, acompanhamento de equipe de designs, realiza-se proposta de ambientação personalizada para todo hall dos condomínios, buscando funcionalidade nos projetos, cujo acompanhamento é feito desde o layout para o ambiente até escolha dos mobiliários, definição de cores e acabamentos, e composição com toda linha de adornos e papéis de parede.

Uma Domani completa de forma a otimizar todo trabalho junto à parceiros, proporcionando resultados extremamente gratificantes. Além do trabalho junto aos halls, apresentamos todo mobiliário para composição das áreas comuns dos edifícios. Seja na área de churrasqueira, piscina, salão de festas ou gourmet, oferecemos mesmo acompanhamento através de projetos em 3D e definição de todo mobiliário.
Observe que no site Churrasqueira, ( acontece um vácuo no texto ) logo após observa que vai para piscina, são de festa.
O certo é o continuar : Uma Domani completa de forma a otimizar todo trabalho junto à parceiros, proporcionando resultados extremamente gratificantes. Além do trabalho junto aos halls, apresentamos todo mobiliário para composição das áreas comuns dos edifícios. Seja na área de churrasqueira,piscina, salão de festas ou gourmet, oferecemos mesmo acompanhamento através de projetos em 3D e definição de todo mobiliário.

INSPEÇÕES PREDIAIS

As chuvas, vibrações sísmicas (a grande maioria não são sentidas por nós, em razão da localização centralizada do território brasileiro sobre a placa tectônica Sul-americana), ventos, raios e a passagem constante de moradores e visitantes, contribuem para o desgaste das estruturas dos prédio dos condomínios. Esse desgaste, pode culminar em problemas sérios, como falhas no sub-solo, garagem, rachaduras nas paredes, vazamentos e até mesmo, o desmoronamento total ou parcial do prédio. Para conservar o prédio, pelo menos uma inspeção predial deverá ser realizada anualmente ou semestralmente, dependendo da estrutura e do porte dos blocos e torres do condomínio.

Inspeção Predial - Seu Condomínio (sistema de administração de condomínios, site de condomínio, condomínio web, software para gestão/administração de condomínio, aplicativo para condomínio) pensando sempre no melhor para o morador, síndico, zelador, porteiro e todos que estão de uma forma ou outra relacionados a um condomínio!

Ambos síndico e zelador, devem fazer rotineiramente, vistorias sobre a estruturas e às bases do prédio. Em relação as estruturas, os mesmo podem realizá-la, tendo em vista que só exigem um bom olhar crítico. Para as estruturas das bases, é necessário que o condomínio contrate engenheiros ou empresas de engenharia que possam fazer uma análise das estruturas, para liberar um laudo sobre o funcionamento e o futuro do prédio. Se o condomínio não tiver condições de contratar um especialista privado, o síndico poderá entrar em contato com a defesa civil, que irá avaliar a situação da estrutura do prédio, liberando laudo que servirá como base para possíveis intervenções.

Para contribuir com o zelo das estruturas, o síndico e o zelador devem se atentar a alguns pontos especiais, que podem interferir bastante na vida útil da estrutura do prédio:

  • Documental técnico e administrativo;
  • Fundações;
  • Sub-solo;
  • Estrutura (concreto e armaduras);
  • Caixa d’água, cisterna;
  • Rachaduras;
  • Cobertura, telhado;
  • Fachadas, vedações e impermeabilizações;
  • Revestimentos;
  • Instalações elétricas, quadros de distribuição;
  • Instalações de gás;
  • Acessibilidade, acessos;
  • Revisão, instalação de pára-raios;
  • Isolamento da prumada de escadas;
  • Verificação de formação de brigada de incêndio;
  • Corrimão nas escadarias;
  • Iluminação de emergência;
  • Sinalização de rotas de fuga e equipamentos;
  • Elevadores.

Alguns outros itens como pintura, iluminação, jardinagem, rampas e itens decorativos não precisam, necessariamente, constar na inspeção predial.

O QUE É MELHOR PARA O CONDOMÍNIO: UM SÍNDICO OU UMA ADMINISTRADORA?

A gestão de um condomínio pode ser bastante complicada. Fazer valer todas as leis, cobrar que os deveres dos condôminos, principalmente os que dizem respeito à taxa condominial sejam cumpridos, realizar a manutenção do condomínio, fazer compras, cuidar da segurança, convocar assembleias, resolver as ocorrências, gerenciar os agendamentos, contratar empresas terceirizadas, manter a ordem, evitar e, se for o caso, resolver conflitos internos… Ufa! Ás vezes é coisa de mais para um síndico fazer. Para casos onde o trabalho é demasiado pesado, existem as administradoras de condomínio, que realizam o mesmo trabalho de um síndico, mas atendem vários condomínios de uma só vez e contam com uma grande equipe com funcionários que atuam nos mais variados campos (jurídico, administrativo, serviços gerais, segurança, etc). O que é o ideal para o seu condomínio?

síndico ou administradora?

Dependendo do porte e do padrão, a melhor opção, sem sombra de dúvidas, seria fechar contrato com uma administradora. Além de cuidarem, de forma geral, dos assuntos condominiais, as administradoras geralmente assumem toda a responsabilidade, principalmente no que se diz respeito a cobranças de taxas condominiais. Qualquer assunto ou necessidade que o condomínio tiver, se o contrato com a administradora cobrir, será resolvido pela administradora. Em alguns casos, mesmo se o porte do condomínio for grande, é possível geri-lo sem a ajuda de uma administradora. Claro que as tarefas deverão ser divididas entre síndico, subsíndicos e conselheiros. Estes últimos, serão de extrema necessidade para o condomínio no que se diz respeito a controle das contas e transparência da gestão.

Se o condomínio for de menor porte, é possível dividir as tarefas entre síndicos e grupos gestores, formados pelos próprios condôminos. A gestão, nesse caso, pode ser ainda mais transparente pois a administração do condomínio será realizada por pessoas de dentro, geralmente conhecidas pela maioria dos condôminos.

5 ITENS QUE PODEM CONTRIBUIR PARA DEIXAR O CONDOMÍNIO NO VERMELHO

á falamos aqui em nosso site, sobre alguns pontos que podem contribuir para colocar as contas do condomínio no verde. Boas ações, investimentos e um bom nível de adimplência são essenciais para deixar o condomínio de bem com as contas. Já sabemos o que pode ser feito para melhorar a situação financeira do condomínio, e o que não pode ser feito? Confira os 5 pontos que contribuem para que o condomínio entre no vermelho e que, claro, devem ser evitados no condomínio.

  • Alta taxa de inadimplência:Esse é um dos pontos principais. Um condomínio só pode ser bem gerido se tiver condôminos que mantém o pagamento das taxas condominiais em dia. Vale lembrar que a receita principal do condomínio é justamente o montante proveniente das contribuições mensais dos moradores. Se os condôminos não pagarem suas taxas devidamente e sem atrasos, fica muito mais difícil gerir as contas, o que pode acabar por atingir todos os outros moradores.
  • Altos preços dos fornecedores de produtos e serviços:Um ponto que depende mais da administração em si do que dos moradores do condomínio é cotação de produtos e serviços oferecidos por terceiros para a administração ou manutenção do condomínio. Antes de autorizar ou realizar uma compra, é necessário realizar cotações afim de procurar, além do melhor produto, o melhor preço.
  • Contas de água, energia e gás:gasto de água nos condomínios
  • Um ponto com o peso de três. Além de ser uma questão de bom senso, economizar água e energia contribui para uma maior sustentabilidade no condomínio e na natureza. Gastos excessivos devem ser monitorados não somente pela administração interna do condomínio, mas policiados também pelos vizinhos, familiares, responsáveis pela manutenção do condomínio, porteiros, zeladores, etc.
  • Despesas desnecessárias: Alguns produtos e serviços são comprados ou contratados para o condomínio mesmo que a estrutura, a administração ou os moradores não estejam precisando. São os chamados gastos supérfluos que, além de em alguns casos serem extremamente inúteis, não apresentam melhoria alguma para a vida no condomínio. Alguns produtos, depois que comprados, simplesmente ficam lá, jogados em um canto, acumulando poeira e ocupando espaço, apenas. Antes de realizar qualquer compra para o bem do condomínio e benefício comum dos condôminos, é necessário pedir a aprovação da mesma junto aos moradores, de preferência em uma assembleia (por conta da votação e do quórum de moradores).
  • Corrupção no condomínio: corrupção nos condomínios
  • Este é um problema presente, infelizmente, de modo geral, em todo o país. Nem mesmo os condomínios conseguem escapar dos administradores corruptos, que dão o famoso “jeitinho brasileiro” para aproveitarem dos lucros no condomínio. Síndicos, conselheiros, consultores fiscais, entre outros, por vezes se aproveitam do seu cargo para colocar as mãos no dinheiro proveniente das contas do condomínio. Os moradores devem ficar atentos à qualquer movimentação estranha nas contas do condomínio. É direito dos moradores terem acesso às contas do condomínio, mesmo que seja em forma de um demonstrativo simples.

Se os itens acima forem evitados, dificilmente as contas do condomínio entrarão no vermelho. Cada um, síndico, conselheiro e morador pode fazer sua parte para melhorar a vida no condomínio e evitar o colapso das contas.

× Como podemos te ajudar?